No meio de tantas abordagens sobre o que faz (e o que não faz) o Líder moderno, sugiro destacar (apenas) dois aspectos:

- Saber inspirar pessoas e deixa-las trabalhar em paz

- Ter experiência profissional no exterior e compartilha-la com a equipe

Lembrando: o chefe tem subordinados, o líder tem seguidores – nos tempos atuais as competências acima facilitam se diferenciar neste sentido.

Se você pensar diferente, vamos bater um papo, ok?

Tags: , ,

Comentários



Você deve estar saturado de ler a palavra “Liderança” novamente – por isso uma sugestão para sintetizar o perfil da liderança corporativa nos tempos atuais:

- Responsabilidade ética, social e ambiental

- Visão internacional e(!) intercultural

- Transparência no tráfego de informações via internet

Se tiver outra visão, vamos bater um papo, ok?

Tags:

Comentários



19
abr

Caráter – o quer seria isso?

por wkprisma às 15:09 em: Educação

Você tem dificuldade para definir o que é “Caráter”?

Aqui uma sugestão – emprestada de Otto von Bismarck, “chanceler de ferro”, estadista mais importante da Alemanha do século XIX:

Caráter = Talento menos Vaidade

O que você acha?

Tags:

Comentários



Nos tempos atuais a demanda por competências de um profissional é voltada menos para sua capacidade técnica e mais para atributos comportamentais.

A UNESCO publicou uma matéria sobre a educação moderna, onde ela relaciona as competências necessárias para se colocar com sucesso no mercado de trabalho, a saber:

  • Flexibilidade
    • Saber lidar com pessoas de condutas diferentes
  • Criatividade
    • Saber transformar informação em idéias inovadoras
  • Informação
    • Saber buscar informação de impacto no mundo de negócios
  • Comunicação
    • Saber transformar dados complexos e informação simples
  • Responsabilidade
    • Saber se comprometer com resultado de decisão e ação
  • Empreendedorismo
    • Saber avançar ousando, ia, inspirando e mudando
  • Sociabilização
    • Saber crescer compreendendo diversas culturas
  • Tecnologia
    • Saber utilizar os recursos digitais para agilizar decisões e ações

O DESIGN THINKING facilita esta tarefa – para mais detalhes vide

http://www.wkprisma.com.br/treinamento-empresarial/educacao-corporativa/inovar-e-agora-1.html

Tags: , , , ,

Comentários



30
mar

Feliz Pàscoa

por wkprisma às 22:29 em: Cultura

A origem do ovo de páscoa

Alemanha - 2013 - 4

Na Páscoa, a celebração da morte e ressurreição de Cristo serve como um momento especial para que os cristãos reflitam sobre o significado da vida e do sacrifício daquele que fundou uma das maiores religiões do mundo. Contudo, muitos não conseguem visualizar qual a relação existente entre essa celebração de caráter religioso com o hábito de se presentear as pessoas com ovos de chocolate.

Para responder a essa pergunta, precisamos voltar no tempo em que o próprio cristianismo estava longe de se tornar uma religião. Em várias antigas culturas espalhadas no Mediterrâneo, no Leste Europeu e no Oriente, observamos que o uso do ovo como presente era algo bastante comum. Em geral, esse tipo de manifestação acontecia quando os fenômenos naturais anunciavam a chegada da primavera.

Não por acaso, vários desses ovos eram pintados com algumas gravuras que tentavam representar algum tipo de planta ou elemento natural. Em outras situações, o enfeite desse ovo festivo era feito através do cozimento deste junto a alguma erva ou raiz impregnada de algum corante natural. Atravessando a Antiguidade, este costume ainda se manteve vivo entre as populações pagãs que habitavam a Europa durante a Idade Média.

Nesse período, muitos desses povos realizavam rituais de adoração para Ostera, a deusa da Primavera. Em suas representações mais comuns, observamos esta deusa pagã representada na figura de uma mulher que observava um coelho saltitante enquanto segurava um ovo nas mãos. Nesta imagem há a conjunção de três símbolos (a mulher, o ovo e o coelho) que reforçavam o ideal de fertilidade comemorado entre os pagãos.

A entrada destes símbolos para o conjunto de festividades cristãs aconteceu com a organização do Concilio de Niceia, em 325 d.C.. Neste período, os clérigos tinham a expressa preocupação de ampliar o seu número de fiéis por meio da adaptação de algumas antigas tradições e símbolos religiosos a outros eventos relacionados ao ideário cristão. A partir de então, observaríamos a pintura de vários ovos com imagens de Jesus Cristo e sua mãe, Maria.

No auge do período medieval, nobres e reis de condição mais abastada costumavam comemorar a Páscoa presenteando os seus com o uso de ovos feitos de ouro e cravejados de pedras preciosas. Até que chegássemos ao famoso (e bem mais acessível!) ovo de chocolate, foi necessário o desenvolvimento da culinária e, antes disso, a descoberta do continente americano.

Ao entrarem em contato com os maias e astecas, os espanhóis foram responsáveis pela divulgação desse alimento sagrado no Velho Mundo. Somente duzentos anos mais tarde, os culinaristas franceses tiveram a ideia de fabricar os primeiros ovos de chocolate da História. Depois disso, a energia desse calórico extrato retirado da semente do cacau também reforçou o ideal de renovação sistematicamente difundido nessa época.

Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

Tags:

Comentários



26
mar

Time is Money – verdadeiro ou falso?

por wkprisma às 13:37 em: Vida


Tempo

Parece ser uma epidemia: “não tenho tempo”. Usamos a desculpa da falta de tempo com nossa equipe, nossos clientes, nossos parceiros e até com nossa família – e mais, com a gente mesmo.

Se estamos sempre ocupados para todos e tudo, o que estamos fazendo com calma, concentração e critério?

Você não é avaliado por quantas coisas você conseguiu fazer, mas pelo impacto que os seus feitos fizeram.

O que acontece, na realidade, não é que falta tempo. É falha na organização do nosso dia-a-dia; fazemos uma agenda diária/mensal? estamos priorizando? sabemos dizer não? somos objetivos na conversa? entramos no bolso da conversa do outro? aprendemos conduzir reuniões? sabemos desligar o celular?

Porque não avaliar, como estamos agindo com nossa equipe, nossos clientes, nossos pares, nossa família? Se tiver dúvidas, porque não pergunta-los: como estou me saindo quando o assunto é “tempo”?

É bom lembrar, que além do dinheiro, tempo é o único recurso que não é elástico!

Como os americanos dizem: “time is money” – eles são autorizados a falar isso: são tremendos gestores de tempo!

Fazem agenda – priorizam – sabemos dizer não – vão direto ao assunto – detestam rodeios – são pontuais, focados e práticos em reuniões.

Quem sabe, com um pouco mais de disciplina, podemos ganhar tempo e gerar resultados melhores com menos desgaste – e ganhar mais dinheiro – para nós e para os outros…

Faça seu test drive!

Tags:

Comentários



21
mar

Agregar Valor – e agora?

por wkprisma às 22:59 em: Gestão Empresarial

Agregar Valor – e agora?

Talvez você já ouviu a frase de Jack Welch, ex CEO da GE: “Estamos na Era do Valor”. Com certeza você já ouviu apelos como: “Você precisa agregar valor a seu trabalho!”, “Precisamos agregar valor ao nosso negócio”, “Temos que agregar valor ao cliente”.

O conceito de agregação de valor na gestão empresarial é relativamente simples, mas complicado na aplicação.

A gestão financeira é uma das áreas mais relevantes, uma vez que ela gerencia a geração e a aplicações financeiras da empresa, desde o pagamento dos salários até a decisão ou não por um investimento.

Tradicionalmente prevalece a visão de que lucro gera valor.

A gestão moderna busca atender aos interesses dos stakeholders.

Surge, então, a gestão estratégica, que entende a remuneração do acionista como resultado da satisfação dos stakeholders na sequência colaborador(!) – cliente – fornecedor – comunidade.

O desafio é, portanto, descobrir quais são as necessidades essenciais dos stakeholders de tal modo que a organização alcance, continuamente, um valor superior ao atual, atraindo novos stakeholders para fazer negócios com ela e incentivando a permanência dos mais atrativos para ela.

Vamos entender então “Valor” como a aplicação de competência e tecnologia nas relações com os stakeholders, a saber:

Para facilitar a unificação de linguagem na sua organização em torna da criação de valor segue aqui uma agenda que possa ser útil na hora de verificar se você está assimilando e aplicando um ou mais destes itens no seu dia-a-dia, a saber:

1 – Valor para o Colaborador compreende um trabalho enriquecedor, com mensuração de desempenho e remuneração conforme desempenho.

Os atributos de maior impacto na atração e retenção(!) de profissionais são:

  • Fazer sentir que a empresa é um lugar estimulador para trabalhar
  • Reconhecer ao atingir ou superar metas
  • Fazer perceber que o trabalho alavanca o crescimento profissional
  • Envolver na idealização e implantação de melhorias
  • Encorajar de correr riscos (“errar melhor”) para melhorar
  • Em suma, criar um ambiente de ser e de se sentir útil

Pergunte: Você gosta de trabalhar na sua empresa?

2- Valor para o Cliente compreende uma característica do produto ou serviço que faz o Cliente perceber que ele vai resolver o seu problema levando em conta qualidade, preço e serviço

Pergunte: você gostaria ser cliente da sua empresa?

3 – Valor para o Fornecedor compreende ser pago dentro do prazo e – em casos complexos – envolvimento no desenvolvimento do produto ou serviço.

Pergunte: Você gostaria ser fornecedor da sua empresa?

4 – Valor para a Comunidade compreende responsabilidade social e ambiental.

Pergunte: você gostaria pertencer a comunidade da sua empresa?

5 – Valor para o Investidor compreende retorno superior ao custo do capital empregado (dividendos)

Pergunte: você gostaria ser investidor da sua empresa?

Como você percebe, valor é sinônimo de solução.

Blog 1

Como se encaixam suas atividades na agenda acima?

Avalie como você pode reforçar ainda mais o valor que você agrega!

Para tirar dúvidas entre em contato…

Comentários



18
mai

Como se inspirar para ser mãe

por wkprisma às 13:30 em: Humor

Mãe de sêxtuplos (Cidade de Columbus, estado de Ohio – EUA)…

mae

Comentários



07
mai

Como dançar com 1000 mãos

por wkprisma às 22:24 em: Cultura

Antes de ver o vídeo é importante ler este texto:

Há uma dança impressionante, chamada de “As Mil Mãos-Guan yin”.

Considerando a grande coordenação que é necessária, a sua realização não deixa de ser surpreendente, mais ainda porque todas as bailarinas são surdas. Sim, é verdade. Todas as 21 bailarinas são completamente surdas e mudas.

Baseando-se somente nos sinais dos formadores nas quatro esquinas do cenário, estas extraordinárias bailarinas oferecem um grande espetáculo visual. O seu primeiro grande “début” internacional foi em Atenas na cerimônia de encerramento dos Jogos Paraolímpicos de 2004, mas tem estado desde há muito tempo no repertório da “Chinese Disabled People”s Performing Art” e já viajou a mais de 40 países.

A sua primeira bailarina, Tai Lihu a, tem 29 anos de idade e possui um BA pelo Instituto de Belas Artes de Hubei. O vídeo foi gravado em Pequim durante o Festival da Primavera deste ano. CLIQUE ABAIXO:

http://sorisomail.com/email/11956/a-danca-das-1000-maos.html

Comentários



05
abr

Música

por admin às 15:25 em: Amizade

Olá,
uma das melhores musicas, que fala de amizade
espero que gostem!
Werner

Comentários



Page 6 of 7« Primeira...34567

BlogBlogs.Com.Br

BlogBlogs.Com.Br